AutoraFernanda Campagnucci

Três livros para compreender vigilância e privacidade hoje

T

Tudo Sobre Tod@s (de Sérgio Amadeu), Weapons of Math Destruction e The Art of Invisibility (de Cathy O’Neil e Kevin Mitnick, respectivamente, títulos por ora disponíveis apenas em inglês) são leituras que abordam as diferentes camadas da “Era do Big Data”  Três obras lançadas recentemente compõem um quadro abrangente para quem quer compreender o que significam as principais expressões que povoam...

Explorando as despesas da cidade, parte 2: contratos

E

Um pouco mais avançado, este exercício envolveu contornar alguns problemas da API e cruzar com a base de empenhos (além de ter de me superar para aprender truques novos). Dessa forma o ciclo fecha desde o empenho até cada pagamento do contrato, com os fornecedores. Um bônus ali no final: comparativo com a informação que tem no Portal da Transparência, suas vantagens e desvantagens. PS –...

Explorando as despesas municipais de São Paulo via API

E

Uma das formas mais eficazes de aprender alguma coisa é ensinar ou sistematizar o conhecimento para compartilhar. Por isso fiz este tutorial sobre um dispositivo de transparência importantíssimo, mas ainda muito pouco aproveitado na cidade, interna e externamente à gestão, que é a API pública do Sistema de Execução Orçamentária da Prefeitura de São Paulo, o SOF. Voltado a pessoas que trabalham...

Por um governo aberto que pense também que tipo de tecnologia queremos

P

Uma das representações gráficas mais interessantes do conceito de governo aberto que já vi é a da Organização dos Estados Americanos (OEA), em sua publicação “Hacia el gobierno abierto: una caja de herramientas” (2015). O pesquisador César Nicandro Cruz-Rubio propõe ali um esquema que explicita níveis de desenvolvimento dos eixos transparência, accountability e participação. Dessa forma, o...

Memórias de um ensino médio técnico e machista: “voltem pra cozinha, vão lavar roupa!”

M

O machismo me expulsou do mundo da tecnologia. A frase é simples, tem sujeito, predicado e objeto bem definidos. Mas demorei 15 anos para processar, articular e, finalmente, decidir escrever o que está por trás dela. Tinha 14 anos quando entrei no curso técnico em Eletrônica no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo. O ingresso se dava por um “vestibulinho” bastante concorrido, mas, debates sobre...

‘The Economist’: educação pobre para os pobres

Na semana passada (18/10), a correspondente da revista britânica ‘The Economist’, Helen Joyce, respondeu a um artigo em que eu fazia críticas a uma reportagem da publicação. Fico feliz que a internet possibilite essa troca de ideias franca, com base em argumentos e dados. Agradeço à jornalista pela disposição a entrar no debate. Basicamente, a reportagem de Joyce “Pensions and education: Land of...

Desigualdades educacionais têm cor e endereço em São Paulo

D

As médias usadas em análises sobre a educação escondem a persistência de profundas desigualdades no interior de um mesmo município – sobretudo em uma metrópole complexa como São Paulo. Dados desagregados por cor, raça, renda, gênero, idade e distribuição geográfica são necessários para revelar os desafios das políticas educacionais para a superação das desigualdades, mas ainda há enorme...

A conta da educação brasileira não fecha na ‘Economist’

A

A educação entrou no pacote da crítica que a revista The Economist fez nesta semana à economia brasileira. A reportagem “Pensions and education: Land of the setting sun” elegeu como vilã a aposentadoria dos professores, um privilégio desmedido que estaria impedindo bons resultados no setor. O diagnóstico da revista não chega a estar completamente equivocado, mas repete simplificações comuns no...

Autora

Fernanda Campagnucci

Visualizar Perfil Completo →

Posts recentes

Comentários

Categorias